Edição 2017 em e-paper
 
 
Jornal de Negócios
Nova Pesquisa
     
   
   
   
  Início
  Editorial
   
 
   
 
 
 
 
Mercado em 2017 10-02-2017
Os olhos estão postos lá fora, com alguma preocupação, e por cá, com alguma apreensão. No plano externo, a forma como Donald Trump guiará os Estados Unidos da América no campo económico e ao nível das relações externas, mas também o modo como evoluirá o processo de saída do Reino Unido da União Europeia, são aspectos que vão pesar na forma como o mundo dos negócios vai evoluir ao longo do ano e, por consequência, naquela que será a actividade dos prestadores de serviços jurídicos às empresas. No plano interno, a estabilização do sistema financeiro Português e a expectativa de que o investimento privado ganhe ânimo e que a nível público regresse, são questões determinantes para a economia e, claro, para o sector da advocacia. ...In Anuário 2017
Ver documento Documento
 
Ordem dos Advogados 10-02-2017
As buscas judiciárias a escritórios de advogados, a criação de um fórum institucional que permita avançar para um pacto de Justiça, a actual situação da Caixa de Previdência dos Advogados e Solicitadores (CPAS) e os elevados valores das custas judiciais são questões de eleição para Guilherme Figueiredo. Foram aliás esses os temas que escolheu para dar o tom à sua tomada de posse e para dar a conhecer as áreas a que pretende dar prioridade. Para o mandato que se vai estender pelos próximos três anos, promete diálogo e afiança que será um bastonário de todos os advogados. ...In Anuário 2017
Ver documento Documento
 
Na Onda da Retoma 02-02-2016
"Na economia pouco se destrói, quase tudo se transforma. O sector dos serviços de advocacia é talvez aquele que mais reflecte a transformação de valor, na conjuntura que temos vivido desde que o mundo ocidental entrou em abalo financeiro há quase uma década. A intervenção no BES e mais recentemente no Banif já garantiu negócios e promete criar mais. As perspectivas ultrapassam largamente o universo limitado dos litígios e heranças das crises. Com a retoma chegam agora aos escritórios investimentos e fusões e aquisições, numa tendência que se reforçará. Assim o garanta a estabilidade política e legislativa.
O sector da advocacia e serviços jurídicos passou pela fase mais grave da crise quase sem a sentir. Nos tempos em que Portugal viveu em recessão, as reestruturações e insolvências foram garantindo trabalho."....Helena Garrido, Directora do Jornal de Negócios, In Anuário 2016
Ver documento Documento
 
Tempo de Visão 02-02-2016
"A incerteza e a instabilidade política que têm assombrado o país levantaram novamente a questão: “crise: tema do passado ou matéria do futuro?”. Esta é a realidade que temos, ainda que não desejada pelos gentes económicos e sociedades aqui representadas, e que se espera que seja sol de pouca dura. Aos agentes olíticos pede-se estabilidade e bom senso. Os tempos exigem que se olhe à distância, que se perspective o futuro do país com as condições necessárias e facilitadoras de um ambiente favorável para os negócios e para o investimento. Pede-se mais visão e menos miopia.
O ano de 2015 foi efectivamente um ano de viragem para o sector das sociedades de advogados, espelhado de forma evidente nesta 11ª edição do In-Lex."... João Moura, Director da In-Lex, In Anuário 2016
Ver documento Documento
 
   
 
Página 2 de 17. << Anterior | Posterior >>